Texto tirado do site da SECIESP (Sindicato das Empresas de Elevadores de São Paulo)

 

O mercado de elevadores, hoje em dia, é bastante diversificado. A indústria de elevadores não esta, como no passado, tão verticalizada a ponto de produzir todos os componentes necessários para a fabricação de um elevador. Hoje, estas empresas, tal como o mercado de automóveis, funcionam como montadoras. Os fornecedores das peças que compõem os equipamentos são, via de regra, comuns a todas as empresas. Além disto, o mercado globalizado possibilita a toda e qualquer empresa o acesso a tecnologia de ponta disponível no mundo inteiro, inclusive no Brasil.

 

Portanto, não tenha dúvidas com relação a este assunto, pois as peças de reposição não são um problema para as empresas de conservação de elevadores, uma vez que o mercado disponibiliza para elas todos os componentes necessários para se fazer uma excelente manutenção.

 

Acesse o nosso site, www.seciesp.com.br, e confira as empresas classificadas como “colaboradoras”, pois estas são algumas das empresas que abastecem o mercado com peças e componentes de reposição. Inclusive, algumas delas, fornecem seus produtos para as multinacionais instaladas hoje em nosso país.

 

Portabilidade, palavra comum para os nossos dias modernos. Assim como o seu carro e o seu telefone celular, entre outros, não são propriedade de quem os fabricou. O elevador é de propriedade do condomínio, e não da empresa que o montou. Uma vez que você comprou e pagou, o equipamento é seu. O condomínio não precisa e não deve ficar refém de uma empresa que não o está atendendo a contento.

O cliente deve ficar com uma empresa pelos bons serviços que presta e não simplesmente pelo argumento inverídico e ingênuo de que as empresas conservadoras multimarcas não tem acesso a peças e componentes.

"...Assim como o seu carro e o seutelefone celular, entre outros, não são propriedade de quem os 

fabricou, o elevador não é da empresa que o 

montou, sendo propriedade do condomínio. Uma vez que você comprou e pagou, o equipamento é seu. O condomínio não precisa e não deve ficar refém de uma empresa que não o está atendendo

a  contento...".